Anúncios !!!


Cat-1

Cat-2

Anúncios!!!


Poesia

ColunaDireita

Catago Vazio2

Coluna Filosofia


ANÚNCIOS!!!


» » Luciana do Rocio Mallon: Poemas inspirados nos quadros de Arte Digital de Carlos Zemek



Luar em Machu Picchu

Machu Picchu tem um luar
Que transforma a densa neblina
Em uma musa que deseja amar
Algo suave em seu corpo de menina

Quando o luar banha as pirâmides sem fim
A floresta inteira banha-se em marfim!
Os astecas antigos saem com maestria
Anunciando uma nova profecia

O luar sabe que este lugar tem uma montanha antiga
Que por toda a eternidade será sua sincera amiga.

Luciana do Rocio Mallon




Tiuanaku

Tiuanaku é uma cidade misteriosa
Envolta em lendas e magias
Na floresta maravilhosa
Lembrando mil fantasias

Uma noite os míticos extraterrestres
Avistaram esta cidade cheia de beleza
Então eles saudaram os índios campestres
Construindo pirâmides nesta natureza

A pirâmide de Akapana
Não é uma simples cabana
Ela tem sete plataformas que elevam o espírito
Na edificação da alma num sonho onírico.

Luciana do Rocio Mallon




A Nebulosa

A mulher mais linda e formosa
É uma misteriosa nebulosa
Seus olhos são estrelas cintilantes
Nas constelações mais brilhantes
Iluminando a galáxia dos amantes

Uma nebulosa não é apenas uma nuvem de poeira
Que ajuda a formar os segredos do universo
Ela é a alma de uma musa fiel e verdadeira
Que inspira pinturas através do verso.

Luciana do Rocio Mallon 






Astecas

Os astecas foram um povo guerreiro
Eles descobriram o mágico cacau
Num misticismo verdadeiro
Que sempre combateu o mal

Em cada planta selvagem
Eles encontravam uma cura
Que não era nenhuma miragem
Pois a magia era leve e pura

Os astecas com sua Astrologia
Desvendaram o universo
Na floresta com harmonia
Havia um poema com verso.

Luciana do Rocio Mallon









Samara
Ela é uma verdadeira joia rara
Seu suave nome é Samara
Seu rosto forma uma constelação brilhante
Tornando o céu do amor mais radiante

Seus cabelos longos e macios
São cascatas dos sonhos em rios
Seu sorriso é uma Lua luminosa
No brilho de sua pele sedosa

Samara abraça a luz do firmamento
Porque sua alma tem sentimento.
Luciana do Rocio Mallon



Buraco de Minhoca

O buraco de minhoca é um túnel no tempo
Para quem tem sensibilidade e sentimento
Este buraco tem dois túneis, duas passagens
Que são passaportes para fantásticas viagens

Entrando num buraco negro e escuro
Com espírito taciturno e obscuro
O viajante encontra o caminho celestial
Que é o buraco de minhoca no astral

O buraco de minhoca saúda o viajante da luz
Por isto ele possui diversos tons de azuis .
Luciana do Rocio Mallon




O Contato
Em cima do portal de uma velha ruína
Escutei um suspiro suave de menina
Porém lá avistei uma estrela cintilante
Com o brilho de um dourado diamante

No meio do portal vi uma entidade
Não sei se era um espírito de verdade,
Ou, só uma sombra no meio da neblina branca
Mas só sei que senti uma paz suave e franca

Não se se era extraterrestre, ou, querubim
Só sei que trouxe uma calma leve para mim.
Luciana do Rocio Mallon





Cordilheira

A cordilheira forma montanhas harmônicas
Ela nasceu de um choque entre duas placas tectônicas
A cordilheira abraça com carinho vários países
Porém seu espírito possui cores e matizes

No olhar de um artista plástico
Este fenômeno fantástico
Tem cores cheias de sensibilidade
Entre o sonho e a realidade

A cordilheira fica azul na noite de Lua cheia
Porque o fogo do amor se incendeia
Ela fica prateada como um diamante
Quando chega a leve Lua minguante

Na Lua nova ela torna-se dourada
Pois a cordilheira fica apaixonada
A cordilheira abraça com carinho vários países
Porém seu espírito possui cores e matizes


Luciana do Rocio Mallon

«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Editor da Revista Carlos Zemek

Curador e Artista Plástico.
Membro da Academia de Cultura de Curitiba - ACCUR.

Nenhum comentário

Faça um Comentário!



ANÚNCIOS!!!


Eventos Culturais

Conuna1Inferior

Catalogo Vazio3

Anúncios!!!

Livros Digitais