Anúncios !!!


Cat-1

Cat-2

Anúncios!!!


Poesia

ColunaDireita

Catago Vazio2

Coluna Filosofia


ANÚNCIOS!!!


» » Neyd Montingelli: Mata véio e criança

Mata véio e criança

Em matéria de crendices e folclores as nossas avós são especialistas. As minhas avós, Maria Makiolka por parte de pai e Zeneida Nassin por parte de mãe, ninguém no mundo teve igual. Tinham frases para deixar qualquer pessoa da família com o espírito e o dia do mais assustador ao mais emocionante; do mais religioso ao mais ateu, acalmando ou enlouquecendo a cada um a sua maneira, com uma simples admoestação:
Diz que, se você fizer isso, ou se não fizer aquilo, ou se não comer aquilo, ou se comer...

Sempre vinha, depois do discurso, a história detalhada do causo de uma prima da vizinha da tia, ou da sobrinha da irmã da cunhada que fez o contrário e que, é claro, terminou em tragédia, desgraça pura!
Mas, (sempre tem um MAS), várias dessas crendices a gente leva para a vida toda e acaba comprovando pessoalmente como verdadeira, de uma maneira ou outra. Ou pela experiência pessoal, ou pela fé. Pela fé é tão bonitinho, pois é uma coisa de família, de amor mesmo, que se leva para sempre aquela sensação gostosa que não se consegue compartilhar, que é difícil de descrever. Só dá para sentir.

Quando eu era pequena, lembro que na casa de minha avó Zeneida, depois de lavar a louça do jantar, ela escolhia o feijão e já deixava de molho em uma grande tigela de vidro e ainda colocava umas gotinhas de limão. Na casa da minha avó Maria (Starka como a chamávamos, por sermos descendentes de poloneses), era diferente, ela sempre acordava às 4:30 da manhã e nesta hora colocava o fermento do pão para crescer e já escolhia o feijão e deixava de molho na água quente.
Na casa da avó Zeneida, ela pegava a água do feijão, bem roxa, e derramava nas plantas. Nesta casa sempre tinha muitas plantas. Por todo canto. Em vasos, canecas, latas, panelas, pneus.
Porque faziam isso?

Fotografia de Isabel Furini

Faziam, ensinavam a fazer e diziam cheias de razão: “Esta água roxa que sai do feijão é tóxica (acentuando o som de “ch”) e se cozinhar o feijão direto faz mal. Mata véio e criança que mama. Se não mata, fica fazendo pum sem parar e dói a barriga.”
Pura crendice?
Que nada! Hoje é comprovado que os grãos como feijões e lentilhas, devem ser deixados de molho por algumas horas antes de serem cozidos para a alimentação. Os grãos contêm ácido fítico, que pode provocar gases, desconforto abdominal, má absorção de nutrientes e outros malefícios. Só deixando de molho por esse tempo, para quebrar o componente.

Ah! A tal sabedoria das vovós comprovada cientificamente.

Neyd Montingelli

Neyd Montingelli nasceu em Curitiba é casada e tem 4 filhas. Formação em Psicologia, Nutrição, Processamento de alimentos e Laticínios. Tem 15 livros publicados e participa em 65 antologias. Foi premiada em concursos literários de contos, crônicas e poesias. Membro da ALUBRA e ALB/Araraquara, do Núcleo de Letras e Artes de Buenos Aires e Lisboa, Academia ALMAS/Ba, do Centro de Letras do Paraná e Embaixada da Poesia. Troféu Cecília Meireles, Garcia Lorca, Cora Coralina, Casimiro de Abreu, Revista Carlos Zemek, Melhores Cronistas; Medalha Monteiro Lobato; Medalha Melhores Poetas da Magico de Oz. Seu livro Cavalos e contos recebeu prêmio de melhor livro de contos pela Literarte, em Ouro Preto.


«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Editor da Revista Carlos Zemek

Curador e Artista Plástico.
Membro da Academia de Cultura de Curitiba - ACCUR.

1 comentários

Neyd Montingelli: Mata véio e criança



ANÚNCIOS!!!


Eventos Culturais

Conuna1Inferior

Catalogo Vazio3

Anúncios!!!

Livros Digitais