Anúncios !!!


Cat-1

Cat-2

Anúncios!!!


Poesia

ColunaDireita

Catago Vazio2

Coluna Filosofia


ANÚNCIOS!!!


» » Clarissa Macedo: Irmandade e outros poemas inéditos

Arte Digital de Carlos Zemek

Irmandade 

Qual a cor do teu drama?
Quantos lares saem de teus cabelos?

Com quantos homens se reparte
o último fio de desespero?

Em tempos de paixão e fome
os credos são maiores que as roupas
os voos maiores que as asas.

Margens do deserto

O que alenta a paragem
são as margens de ferro,
a própria paisagem.

Nas garras da memória,
do sopro à morte,
o meio do que é breve.

Só palavras alumiando
a esperança que mestiça
as marcas da terra.

De que vale gozar-lhe à cara
o estigma do infinito deserto?


(In: Na pata do cavalo há sete abismos)

 Clarissa Macedo




A trama do nu

Abandonei as roupas que eu tinha.
No meu gesto cabe agora
a paixão de muros encarnados.

As roupas que tive me privaram de ser nua
mas não cobriram a serenidade
do curvo rastro de minha pele
pele-máquina, vazia de mãos de homem.

Meu vestígio é minha nudez
que se oferenda e que se abre
diante de um largo armário
(cheio de escudos que vingam faltas)

meu vestígio é minha nudez
que se rasga
diante da possibilidade de não ser pássaro.

Clarissa Macedo

Olhos translúcidos

No vão do quintal
havia lagartixas de 5 metros
pássaros mambembes
sapos coloridos que engoliam o futuro

Havia no meu quintal
uma rã chamada Hortência
e vassouras que abrigavam bruxas

Lá, bem no fundo, um grilo gigante
cantava à consoada
e no meu coração
(essa infância sem humanidade)
uma fauna invisível
e a grande fome de mundo.

(Inéditos)

Clarissa Macedo





Clarissa Macedo, nascida em Salvador (BA), é licenciada em Letras Vernáculas, mestra em Literatura e cursa doutorado em Literatura e Cultura; é escritora, revisora, professora e  pesquisadora, com diversos projetos em andamento; como a tradução de poetas mulheres (espanhol/português –  português/espanhol).Apresenta-se em   eventos  pelo Brasil e fora do país (Colômbia, Peru, Cuba). Está presente em diversas coletâneas,blogues, revistas (como a Machado de Assis, por exemplo) e sites. É autora de O trem vermelho que partiu das cinzas  e de  Na pata do cavalo há sete abismos  (7Letras –Prêmio Nacional da Academia de Letras da Bahia – 2014), ambos de poesia. Sua obra está traduzida para o espanhol e em processo de tradução para o inglês. Prepara um livro ilustrado de poemas. 
Contato da autora: clarissamonforte@gmail.com
«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Editor da Revista Carlos Zemek

Curador e Artista Plástico.
Membro da Academia de Cultura de Curitiba - ACCUR.

Nenhum comentário

Faça um Comentário!



ANÚNCIOS!!!


Eventos Culturais

Conuna1Inferior

Catalogo Vazio3

Anúncios!!!

Livros Digitais