Anúncios !!!


Cat-1

Cat-2

Anúncios!!!


Poesia

ColunaDireita

Catago Vazio2

Coluna Filosofia

Matérias


ANÚNCIOS!!!





O lançamento da Antologia será na FEIRA DO POETA, em Curitiba - PR,
dia 25 /11/2018, das 10 h às 14h
Coordenadores da Antologia: Vanice Zimerman, IWA (Curitiba - PR), João Ribeiro (MG) e Amaury Nogueira (Curitiba-PR). Participam da Antologia 25 poetas; mineiros, paranaenses, paulistanos, cariocas, cearenses, e pernambucanos, em comum o elo a Poesia. O Espaço Cultural Coreto localiza-se no Sítio Doce Paraíso, em Alfredo Vasconcelos - MG.
Participam:
Amaury Nogueira, Ana Muse, Anggela Lazzari, Anthony Juszczak Portes, Budgo, Clevane Pessoa, Daniel Mauricio, Eliane Gabardo, Elói Fonseca, Gabriel Facchiochi Ubiale, Igor Veiga (“Perigor”), Iracema Alvarenga, Isabel Sprenger, João Ribeiro, Jucélia Betinardi Fachini, Julio Cesar Mauro, Marília L. Paixão, Norma A. Silveira de Moraes, Poeta Paulo Barros, Rita Delamari, Rodrigo Toniolo, Sonia Abreu, Takinho, Vanice Zimerman, Vantuilo Gonçalves.


23 de novembro é o Dia Internacional da Palavra como Vínculo da Humanidade.
A data é festejada com motivo do aniversário da criação do Museu da Palavra,
O Museu está situado em Toledo, na regiäo de la Mancha. O local onde Don Quixote, o personagem de Cervantes, suas aventuras, alegrias e tristezas.
A Revista Virtual Carlos Zemek de Arte e Cultura para versejar sobre A PALAVRA os poetas da AVIPAF.
Veja os trabalhos de:  Isabel Furini, Sonia Cardoso, Maria da Glória Colucci, Maria Antonieta Gonzaga Teixeira, Daniel Maurício, Decio Romano, Elciana Goedert, Marli Boldori, Neyd Montingelli



O poder da palavra

naufragam
as brancas asas dos anjos
entre as sílabas das palavras
"amor"e "rancor"

o vento arrasta as palavras
e avança
e perpassa
os rios do ódio e do rancor

abraça o mundo ao instante
uma onda colossal
é uma onda que espalha
a bondade celestial.

Isabel Furini

***

Palavra

Ela machuca, fere,
Mas também acarinha
Pode ser compreensão
E tortura, amor e maldição.

Sonia Cardoso

*

A Palavra

Não tente domar
E muito menos subjugar
A palavra, acarinhe
E faça com ela um
Pacto de amor, cultive,
Lapide, exija, ceda e
Terás uma grande amiga.

Sonia Cardoso

Silenciosa          
                    
Força imperativa,
Fez brotar interativa
Do nada, o Universo.                  
Prossegue silenciosa no anverso              
Do ser, da razão, da existência,        
Sublime, radiante essência:                              
A Palavra.

Agosto, 2018

Maria da Glória Colucci

***


Poema: A palavra de alegria

A palavra de alegria, de esperança,
está presente na fala de criança.

A palavra de carinho... generalista
ou não!
transforma, reconquista, acalma,
é benquista ao coração.

A palavra dura... aparta, é doída,
leva ao pranto.
Não faz conexão com a vida,
é palavra vã e inútil,  perde o encanto.

A palavra é como uma joia
de incomparável valor.
Faz o papel da oração,
bem articulada e com sabor.

Use a palavra... conecte-se com o mundo
com sabedoria, altivez e fidalguia,
para registrar sua história
com orgulho e alegria.

Maria Antonieta Gonzaga Teixeira
Castro-Paraná-Brasil

***

Não quero palavras macias,
Elegantes.
Quero palavras simples
Que caiam feito pedras
No estômago.

Daniel Mauricio

***

A palavra está solta
E percorre no vento
E viaja no tempo
E logo está de volta.

A palavra pode ir
E leva uma mensagem
E traz desta viagem
A resposta a seguir:

A verdade está presa
E carece de auxílio
E pede lá do exílio

A liberdade ilesa
E a paz restituída
E a palavra seguida.

Decio Romano
19.10.2018

*

Toda palavra é ideia
Toda palavra nomeia

O que é e a que veio

Toda palavra dirá
Toda palavra será

O que é que se fará

Toda palavra condiz
Toda palavra que diz

O que foi que fez feliz

Toda palavra melhor
Toda palavra que for

A que diz que é o amor.

Decio Romano
15.10.2018

***

A FORÇA DE UMA EXPRESSÃO

A palavra move o mundo quando é ideal
A palavra silencia quando é argumento
A palavra emociona quando é sentimento
A palavra agride quando é irracional
A palavra transforma quando é conhecimento

A palavra sinaliza comunicação
A palavra verbaliza agressão
A palavra, se sincera, aglomera multidão
Mas quando é enganosa, causa destruição.

Que cada palavra proferida
por mim, por você ou por uma nação
seja prenúncio de paz, destemida
Que não seja abafada por dominação
Que junta a outras traga apenas libertação

Que nos liberte da ignorância
Que nos liberte da desinformação
Que nos liberte das maldades
Que nos liberte da intolerância
Que nos liberte da opressão
Que nos liberte das desigualdades
Que nos conduza à união...

Elciana Goedert (Ciça)

***

A Palavra

Pequena ou curta
A palavra tem poder
Traz em seu bojo
Paz, mas também a guerra faz
Dizem que a palavra mata
Com certeza, pode ser
Quem quer saber?
Depende de quem as usa
E o que vai falar
Uma palavra pequena
Tem o poder da espada
Mata num golpe fatal
E é imortal
Seu sabor às vezes amargo
Como em uma despedida
Em outras ela é doce como o mel
Porém em muitas há o fel
Ela é feminina, com todo seu potencial
Desalinha e complica
Quando se coloca para tal
O mundo inteiro
A reverencia, pois, sua importância para todos
É de excelência total.

Marli Boldori


***

Criatividade

Em linhas, em rimas,
desnudo-me por dentro.
Transformo em palavras
a emoção que me invade.
Transcende o agora,
escrevo do meu íntimo.

Ao abrir a janela da alma,
deixo livres os temores.

Minha mente fica leve,
afloram os amores.
A solidão adormece
A dor perece.
O amor floresce.
A vida não mais me entristece.

Vejo luz, poetizo a existência
E alimento a felicidade.

Neyd Montingelli

*


A palavra

Para os novos ouvidos,
a palavra é vã, sem compreensão.
Mas, vindo da boca (e do coração) da mãe,
a palavra é música,
é alento,
é conforto,
é alimento para o viver.

Fossem assim para o sempre,
escutariam o rogo da vida,
e não passariam fome ou frio.

Filho,
escuta aquela que ama sem condições,
escuta a mãe,
escuta suas palavras, seus conselhos.
Escuta os professores,
os mais velhos.

A palavra com amor tem significado,
para a vida.
Escuta a pátria, que é a mãe terra.

Neyd Montingelli

***

Palavras

Uma palavra bem dita
Acalma uma alma aflita.
Palavras de carinho, são raios de luz,
 que chegam de mansinho,
 e como acordes de suave canção.
Acalmam e alegram um triste coração.

Vera Lúcia Cordeiro  - Autora de “Prelúdio dos Sonhos”


*

Palavras

Uma palavra bem dita
Acalma uma alma aflita.
Palavras de carinho, são raios de luz,
que chegam de mansinho,
e como acordes de suave canção.

Acalmam e alegram um triste coração.

Vera Lúcia Cordeiro  - Autora de “Prelúdio dos Sonhos



Fotografia de Eloir Jr.

A pintura e o desenho de retrato é o tema abordado na exposição “Retratos Metafísicos” do artista plástico Ari Vicentini, que expõe sua expressividade criativa homenageando grandes artistas que influenciaram de alguma forma sua trajetória artística. A mostra acontece no Espaço Cultural Luiz Felix, anexo ao charmoso Café e Empório Mineiro Cheirin Bão-Curitiba-Centro, de 27/10 a 31/12/2018, com curadoria do casal de artistas e coordenadores do espaço, Carla Schwab e Eloir Jr.

Retratos de Frida Kahlo, Picasso, Salvador Dalí, Max Ernst, Goya, releituras de obras de Rubens e Michelângelo, fazem parte desta exposição. As pinturas feitas em acrílico sobre tela retratam estes mestres da arte num estilo que funde o realismo acadêmico com formas abstratas, criando uma espécie de “caos organizado”, numa profusão de formas e cores intensas.

A arte como expressão de uma visão de mundo, é desta forma que o artista plástico Ari Vicentini define suas obras. Emoções e pensamentos em diálogo contínuo com a realidade. "A pintura é para mim uma forma de conhecimento e, ao mesmo tempo, um modo de se relacionar com o mundo. Em minhas criações procuro sempre me orientar pelo conceito tradicional do belo artístico”, comenta Ari. A busca pela essência é o motor e o alimento de sua arte. Para Vicentini, esta busca é o que dá sentido à arte.



Sobre o artista:

Ari Vicentini, artista plástico radicado em Curitiba nasceu em Maringá-PR. Possui formação autodidata, premiado em diversos salões de artes, já participou de mais de 60 exposições coletivas e individuais. Seu trabalho possui uma linguagem que vai do acadêmico, passando pelo hiper-realismo, realismo fantástico e abstracionismo. Pintor, desenhista e ilustrador, Ari Vicentini se dedica integralmente às artes plásticas há 30 anos.

Serviço:

Exposição “Retratos Metafísicos” do artista Ari Vicentini
Local: Espaço Cultural Luiz Felix – Café Cheirin Bão
Rua Emiliano Perneta, 421
Centro-Curitiba-PR
Visitação: 27/10 a 31/12 - de segunda a sexta-feira, das 8h as 19h
sábados, das 9h as 15h

Em 23 de novembro  é festajado el Dia Internacional da Palavra. O Museu da Palavra, da Fundação César Egido Serrano, foi inaugurado em 23 de novembro de 2009, em Toledo, Espanha. O objetivo é a difusão internacion de "A palavra como vínculo da humanidade".

Neste ano, festejando o Dia da Palavra, a poetisa Isabel Furini, convida os acadêmicos da AVIPAF para participar do Sarau Virtual "A palavra". Os poemas, pensamentos, reflexõs, imagens, contos, crônicas, etc. serão postados no Facebook - grupo da AVIPAF.  O evento será em 24 de novembro (sábado) das 15horas às 17h30m, podem participar os acadêmicos da AVIPAF.

Os acadêmicos da AVIPAF que participem receberão Certificado pelo e-mail.

A Semana da Palavra neste ano inicia em 17 de novembro e termina em 24 de novembro/2018.

Isabel Furini, Sonia Cardoso e Vanice Zimeman estarão orientando os trabalhos do Sarau Virtual A Palavra. Festejaremos o Dia da Palavra com muita Arte, Poesia e Literatura em prosa.


https://www.facebook.com/groups/183631468919835/

Obra de Perla Sar




Três autoras lançarão seus livros em 10 de novembro: Andréia Carvalho Gavita e Samantha Beduschi Santana, são autoras de "Cílios Prostíbulos . Lashes lascivious" (Editora Patuá, 2018)
Mari Quarentei autografará sua obra "Livre-se/ a queima é sutil", (NA.DA Estúdio Criativo, 2018), e Julia Raiz apresentará "Diário: A Mulher e O Cavalo" (Contravento Editorial, 2017).

Os lançamentos acontecerão em 10 de novembro, a partir das 15 horas, na Joaquim Livraria&Sebo, rua Alfredo Bufren, 51, Centro, Curitiba/PR.







Maria Izabel Pavelsky lançará o livro "Encantos da Vida" em 07 de novembro, a partir das 19 horas, nas Livrarias Curitiba, do shopping Estação, Curitiba. 

Maria Izabel fala de sua obra: 
Com este livro mostro toda minha alma. 
Alma de alguém que viveu e se surpreendeu com o ENCANTO DA VIDA. 
Tempos de sonhar, enamorar, conquistar. 
Tempos de orgulho pessoal, de ser e não somente ter. 
Tento passar ao leitor com toda minha emoção, principalmente aos jovens, 
um pouco do que hoje esta perdido, que é o ENCANTO DA VIDA . 
Os poemas aqui escritos carregam um misto de alegria, tristeza, sonho e realidade. 
Mostram ao leitor que a vida sem encanto não tem sabor. 
Tudo é simples e maravilhoso quando vivemos com amor.



RESULTADO CONCURSOS INTERNOS UBT-CURITIBA

A UBT-Curitiba, parabeniza a todos os classificados nos Concursos internos por ela realizados, com os temas: Coragem/Oferenda/Saga. A premiação com entrega dos diplomas acontecerá durante nossa Confraternização de Final de ano - Café com Trovas -, no dia 1º de dezembro de 2018, à rua Fernando Moreira, 370 - Centro. Sala de Reuniões 1º andar. Ocasião em que também serão entregues a Medalha Barreto Coutinho, bem como, o Troféu de Trovador Revelação - 2018. Outras informações sobre o Café com Trovas serão encaminhadas, oportunamente.
CONCURSOS INTERNO UBT- Curitiba

TEMA: CORAGEM
PLANILHA A: VETERANOS

1º Lugar: Lilia Souza
Ó Deus, meu Rei, meu Senhor,
dá-me a coragem e a graça
de viver o teu amor
e não me ater ao que passa.

2º Lugar: Janske Schlenker
Apenas três requisitos
enobrecem a passagem;
ter piedade dos aflitos,
ser alegre e ter coragem!

3º Lugar: Luiz Hélio Friedrich
Eu preciso ter coragem,
pois fraqueza eu abomino:
luto contra forças que agem,
para mudar o meu destino.

TEMA: CORAGEM
PLANILHA B: NOVO TROVADOR

1º Lugar: Mary Taranto Belfort
Nesse mundo conturbado,
onde estamos de viagem,
só com Deus ao nosso lado,
pra que tenhamos coragem.

2º Lugar: Elias S. Araújo
O trovador com coragem,
faz suas rimas num verso,
sonhando numa viagem
por todo grande Universo.

3º Lugar: Rocio Vaz
Uma lágrima vertida,
pela face sem coragem,
molha a pele envelhecida.
A vida foi só miragem.

TEMA: OFERENDA
PLANILHA A: VETERANOS

1º Lugar: Janske Schlenker
O amor foi lindo e tão louco
que a realidade nem vi.
Pena que restou tão pouco
do tudo que ofereci...

2º Lugar: Paulo Walbach
No mar, nossas oferendas
de rosas e manacá;
nas ondas foram-se as prendas:
 aceita, Mãe Iemanjá!

3º Lugar: Rô Caron
Deste altivo Pinheiral,
na Curitiba de Luz;
magnânima Catedral,
se ergue à Santa que a conduz!


TEMA: OFERENDA
PLANILHA B: NOVO TROVADOR

1º Lugar: Osires Haddad
Uma oferenda devida
que a todos podemos dar,
é ensinar decente lida
e assim a paz proclamar.

2º Lugar: Syomara Torres Guerra
Os rios, montes, cascatas,
agradecemos, então,
lindas flores, frutos, matas,
ao Senhor pela oblação.

3º Lugar: Marli Voigt
Para o mundo estou saindo,
levando minha oferenda.
A doação está servindo,
do labor é a minha renda.

TEMA: SAGA
PLANILHA A: VETERANOS

1º Lugar: Lilia Souza
Mesmo findo este romance,
na saga da despedida,
querendo ainda outra chance,
adiamos a partida.

2º Lugar: Valterlei Salmazzo
Sigo os passos de ancestrais,
melhor lugar de viver.
As sagas marcam sinais,
que sigo sem me perder.

3º Lugar: Luiz Hélio Friedrich
Nosso amor num vai e vem
compôs uma enorme saga;
sua sombra em nós, meu bem,
nem o sol, não mais apaga!

TEMA: SAGA
PLANILHA B: NOVO TROVADOR

1º Lugar: Osires Haddad
Sagas das lendas e mitos,
histórias de escravidão;
Jaci e Peri favoritos
integram nossa nação.

2º Lugar: Maria Luísa Botorin Dipp
Suave vento embriaga.
Seu suor é maresia...
O clímax tornou-se saga;
Ah! E, o mar virou poesia...

2º Lugar: Marli Voigt
Eu contemplo a natureza
na saga desta vereda:
chuva, sol, tudo é beleza,
no tempo que Deus conceda.

3º Lugar: Vera Lúcia Cordeiro
Queria ser trovador
pois admiro quem o é.
Sou poeta, meu Senhor
por isso mantenho a Fé.

4º Lugar: Luiz Otávio Naufel
Zomba a morte da opulência,
pois um herdeiro farei.
Manterá minha potência...
Após ir-me ao Sacro Rei.

Comunicamos que as trovadoras, Osires Haddad e Syomara Torres Guerra, tendo em vista os atuais resultados passam a concorrer em nossos Concursos internos na CATEGORIA VETERANO.

Andréa Motta
Jandira Zanchi
Jandira Zanchi estará na FLIBI, na Biblioteca Pública do Paraná,  nesta quinta-feira (25 de outubro), a partir das 15 hs lançando o seu  primeiro livro de contos "Egos e Reversos".

Jandira Zanchi  é autora dos livros Área de corte (Patuá, 2016) e Gume de Gueixa (Patuá, 2014). Ela é curitibana, licenciada em Matemática pela UFPR, profissional de magistério em faculdades, colégios e cursos por mais de 30 anos. Como poeta publicou Balão de Ensaio (2007), o livro virtual A Janela dos Ventos (2012) e participou de diversas antologias.





A Antologia Conexão IV organizada pelo poeta Amaury Nogueira, será lançada em 21 de outubro (domingo), a partir das 10 horas, na Feira do Poeta de Curitiba.

PREFÁCIO 
Olinto Simões

Conexão IV. Parece que o livrinho de poesias, deu certo, desde a primeira, ou não teria chegado a quarta edição.
O termo livrinho, está colocado propositalmente, porque, depois de lê-lo por inteiro, me veio a lembrança o grande Ary Barroso, autor de inúmeras músicas do cancioneiro popular, que comandava no pa-drão radiofônico, um programa de calouros chamado "A Hora Do gongo". Um candidato se apresentou e Ary o interpelou: "O que se-nhor vai cantar?", e o calouro disse: "eu vou cantar um sambinha". Ary de imediato se alvoroçou pois, ele não admitia que alguém pu-desse ter a petulância de diminuir o samba. Depois, foi questionado novamente: "Qual é o sambinha?", e o infeliz disse: "Aquarela do Bra-sil". Nesse momento o Ary quase enfartou:
- "Um Poeta, se esmera na Língua Portuguesa para compor uma Obra Prima da Música Popular Brasileira, vem um cidadão qual-quer, e diz que vai cantar um sambinha"?
Assim é o caso do Conexão IV.
Quantos poetas se esmeraram para colocar as obras neste li-vro?
Quantos sonhos acompanham essas obras? 
Quanto de ansiedade e angustia existe nos poetas estreantes?
Quanto de realização há no peito dos veteranos aedos?
Na qualidade de Poeta Convidado para prefaciar esta edição, não posso permitir que paire dúvida sobre o que aqui está, para que num amanhã qualquer 'alguém' diga a alguém, "ah, você faz parte daquele livrinho". 
Aqui, encontrei alguns fenômenos vernáculos como por exem-plo, a Aliteração, presença de sons consonantais semelhantes nos versos; Assonância, os sons vocálicos em sílabas tônicas de pala-vras distintas;
Paranomásia, som que consiste na aproximação de palavras semelhantes pelos sons, mas de sentidos diferentes.
A Imprecação, figura de retórica ou maneira de pensar que ex-prime ameaça ou maldição ditada pela raiva e desespero.
A Deprecação, que é súplica ardente, um convite pelo uso de uma oração religiosa ou oração gramatical.
Ah..., sim, sei. A maioria das pessoas que compra um livrinho, não faz ideia de tudo que tem ali dentro. O livrinho, é um mundo.
Esta quarta edição se conecta com as outras que vieram e abre caminho para as que virão. O importante e que a já definida aqui, "co-leção conexões", conecte mais as pessoas, interligue mais os cora-ções e ajude a melhorar a cabeça dos não pensantes, para que eles começando a pensar, se transformem em Poetas, e das próximas co-nexões, façam parte.

Olinto Simões
Professor - Escritor - Poeta - Consultor - Palestrante
Membro da Academia Poética Brasileira


ANÚNCIOS!!!


Eventos Culturais

Conuna1Inferior

Catalogo Vazio3

Anúncios!!!

Livros Digitais