Anúncios !!!


Cat-1

Cat-2

Anúncios!!!


Poesia

ColunaDireita

Catago Vazio2

Coluna Filosofia

Matérias


ANÚNCIOS!!!





A Bicicleta de Carga do escritor paranaense Miguel Sanches Neto (Editora Companhia das Letras, 136 páginas), apresenta 17 contos. Os contos abordam assuntos que comovem.  O autor apresenta personagens que falam da experiência humana - um assunto sempre delicado.

No site da editora que lançou o livro, lemos: "Um turista na Espanha acaba se tornando amigo de um casal de brasileiros: a possibilidade de um triângulo amoroso se insinua o tempo inteiro, mas pode muito bem ser algo imaginário, assim como a paixão de um fazendeiro de origem holandesa por uma famosa socialite, que ele conhece através de um quadro. Nesta coletânea, proliferam-se narrativas de amores que não se concretizam, e de desejo sexual que, para além do prazer, traz angústia. Exercendo pleno domínio das formas breves, Miguel Sanches Neto constrói aqui uma série de situações verossímeis em sua sordidez de detalhes envolvendo personagens que compartilham uma profunda e desoladora solidão. Em A bicicleta de carga e outros contos, o que está em jogo é o caráter ambíguo e opaco da linguagem. É através de tudo o que não se revela que as criaturas a quem o autor deu vida mostram-se tão humanas."

Miguel Sanches Neto tem o poder de construir personagens que nos habitam durane muito tempo. Essa é a magia da literatura tornar a fantasia de um autor parte integrante de nosso universo mental.

Nas palavras de Christini Roman de Lima, Doutora em Letras pela UFRGS: "Bicicleta de carga e outros contos, portanto, é uma obra bem orquestrada, em que as frases curtas e a linguagem contundente aliam-se às temáticas, na maior parte dos casos, esmagadoras.  (...)" *

*Christini Roman de Lima. Resenha de A bicicleta de carga e outros contos. São Paulo: Companhia das Letras, 2018. Publicada na revista Brasil/Brazil. VOL. 31, No 58 2018. https://seer.ufrgs.br/brasilbrazil/issue/view/3639/showToc

"Antologia Espaço Cultural Coreto" - 2018 foi lançada no dia 09/12/2018, na Feira do Poeta - Largo da Ordem, Curitiba-PR.

Foram coordenadores da obra: Vanice Zimerman, IWA (Curitiba - PR), João Ribeiro (MG) e Amaury Nogueira (Curitiba-PR). Participam da Antologia 25 poetas e poetisas; mineiros, paranaenses, paulistanos, cariocas, cearenses, e pernambucanos - em comum o elo a Poesia. Cada autor participa com três poemas e uma biografia. O prefácio foi escrito pelo poeta Geraldo Magela, coordenador da Feira do Poeta de Curitiba.

No evento ouve o sorteio de duas telas, pintadas por João Ribeiro e Vanice Zimerman.
Fotos da capa e contracapa: João Ribeiro e Vanice Zimerman.

Participaram da Antologia: Amaury Nogueira, Anthony Juszczak Portes, Clevane Pessoa, Daniel Mauricio, Eliane Gabardo, Elói Fonseca, Igor Veiga ("Perigor"),  Isabel Sprenger, João Ribeiro,  Marília L. Paixão, Paulo Barros, Rita Delamari,  Sonia Abreu, Vanice Zimerman e outros.

O “Espaço Cultural Coreto" localiza-se no Sítio Doce Paraíso, em Alfredo Vasconcelos - MG.

Os Coordenadores,Vanice Zimerman, IWA João Ribeiro (MG) e Amaury Nogueira, agradecem às presenças dos poetas, poetisas e convidados,

Informações: nogueeditora@gmail.com


Amaury Nogueira, Vanice Zimerman, Igor Veiga e Rita Delmari






A poetisa e escritora Conceição Gomes, convida para o Sarau Poético e lançamento do livro de poesias, contos crônicas "TRAJETORIAS", que acontecerá em 13 de dezembro de 2018, das 19.00 às 22.00 no Salão Paroquial da Comunidade Bom Pastor, Rua  Pará, 723-Água Verde, Curitiba.

Conceição Gomes publica seus textos no site: Recanto das Letras.
Na continuação um poema da autora que foi publicado nesse site:

INSANIDADE

E este amor libertário
Que não teme o esquecimento
Que implora por tua presença
Sem ínfimo fio de esperança.


Ah! Este amor insano e surdo
As mensagens da fria razão
Caminha por entre veredas
E não encontra acalanto.


Ah! este amor sem respostas
Insistente e sem lenitivo
Qual o amparo que busca
Nos portais da insensatez?

Conceição Gomes

RASURA

quando o poeta rasura o claro-escuro
das palavras
surgem afiados poemas
e perfuram
a anatomia da alma

o espírito satírico de ontem
reaparece no poema de hoje.

Isabel Furini
Quadro da artista argentina Perla Sar

ALMAS GÊMEAS

flores da  região silenciosa da psiquê
poemas e flores dos jardins geométricos
localizados perto do reino da morte
onde os corvos agoureiros
crocitam mantras
e as gárgulas vaticinam
(no reino do além)
o encontro das almas que se amam.

Isabel Furini
Quadro da artista e professora Perla Sar.
ANALOGIAS

a poesia não admite fragilidades
não é uma rosa de renda
nem um jasmim de tule
a  poesia é semelhante ao trauma emocional
:
cicatriza –  mas persiste
pressiona
sitia
obsessiona como o crocitar de um  corvo

a poesia é paixão e é loucura
e foge quando o poeta
tenta modificar a sua textura.

Isabel Furini





ENTÃO É NATAL… 

São momentos de magia
Tempo de confraternização
Demonstrações de alegria
Dias de paz, amor e união

Se reclamam de consumismo
Nem me atento, foco na festa
Sou da turma do otimismo
Só o lado bom se manifesta

Pra demonstrar o que se sente
Basta a presença e um abraço
Dispensa-se aquele presente
Enfeitado com grande laço

Mas pra ver o riso do menino
Enfeito a árvore com carinho
Abaixo dela, Jesus pequenino
Dorme em paz no seu "bercinho"

Quando vem a "noite feliz"
Saborear a ceia, que delícia!
A sobremesa merece bis
Cada presente, uma carícia

E assim a noite termina
Prometendo continuação
Esse espírito contamina
É Natal em nosso coração.

Elciana Goedert (Ciça)
Curitiba – PR


Última Ceia

Mateus, Marcos, Lucas e João
relatam a última ceia de Jesus.

Ame a seu irmão,
fique com a Minha luz.
É um mandamento e não um sermão.

Estava destinado a morrer na cruz,
cumprindo a palavra desde a criação.
Mostrando o caminho que conduz,
à vida eterna com Deus em comunhão.

Neyd Montingelli

***

Natal Feliz

Com amor espero a data,
Minha família em união.
Festejar o nascimento
Na mais bela ocasião.
Do filho de Deus, nosso irmão.
Que a nós veio ensinar.
Na manjedoura começou sua missão
E deu sua vida para nos salvar.

Neyd Montingelli

Fotograria de Isabel Furini


Nasceu Jesus

De Nazaré para Belém foram em viagem,
Maria, José e no ventre o ser divino.
A Escolhida deu à luz na pobreza,
envolto em panos,
em meio à palha,
com os animais,
com os desiguais.
Assim nasceu Jesus
para a vida eterna nos entregar.

Neyd Montingelli


NATAL


Natal é tempo de reflexão...
De perdoar e ser perdoado.
Tempo de doação!
Natal é tempo de esquecer
rancores, diferenças...
Tempo de abraçar, rever. 
Tempo de amar!
Natal não é só mesa farta, 
lautos banquetes... roupas novas.
brilhos...risos... Presentes...
É tempo de compartilhar
o próprio coração!
Dividir, somar, multiplicar
alegrias, recomeçar!
Poderia haver Natal melhor?
Por que Ele nasceu pobre,
Viveu fazendo o bem.
Morreu humilhado... Mas...
Renasceu em glória!
E deixou o maior presente:
A Esperança!
Feliz Natal! Alegrias sem fim...

Maria da Glória Colucci
Quadro de Perla Sar
Arte de Isabel Furini
Rãs

No raso se lançam à chuva
                                     leves]

A que se chama
Uva
Lânguida se estende
Na folha que flutua


Outra se inflama de céu cinza
Sobre a folhagem da margem
Rosa

Paulo Pignanelli

**

Poema de todo dia

Um galo passeia
Seu homem de suspensório
Voltas e voltas
O dia nasce é aos poucos
Laranja salpicado de fumaça
Como de hábito
Acabará morto na boca da noite

Paulo Pignanelli


***


Poema para Lili

(Todo dia)

O sol repete
O salto da cama
O sapato
As dores
Além corpo
O nó na garganta
O colar seco
A porta que fecha às costas
O incômodo elevador que desce
A pressa
A mulher de salto agulha
Os olhos pelo chão
O avião contra o vento
Os documentos no bolso direito
O cão cheirando flores
O tédio
O césio da chapa do pulmão
O trabalho
O mantra

Paulo Pignanelli
Poemas do poeta e professor Gustavo Henao Chica traduzidos por Isabel Furini e Elciana Goedert.


ABISMO

Octubre
el abismo se anuda en mí
el dolor y la negación
de roble no soy
y si de roble fuera
mi raíz en el lodo,
verde arriba de pudres
mis pies

Gustavo Henao Chica

ABISMO

Outubro
o abismo se enlaça em mim
a dor e a negação
tronco forte não sou
e se tronco forte fosse
minha raiz no lodo,
verde acima dos podres
meus pés.

*******


Presentir es saber que reventará
el capullo
Que sin parpadear perderás el
Milagro.
Presentir es saber que ya es ausencia
que perdiste el milagro.

Pressentir é saber que arrebentará
o botão da flor
que sem pestanejar perderá
o Milagre.
Pressentir é saber que já é ausência
que perdeste o milagre.

Gustavo Henao Chica
Pintura da artista e professora Perla Sar
Si vienes de besar otra boca
tus labios tendrán un sabor
que no querrás que descubra,
tus ojos negaran mirada,
y luego sombre mí
tus lágrimas silenciosas
dirán,
contarán,

me quemarán.


Se vens de beijar outra boca
teus lábios terão um sabor
que não quererás que eu descubra,
teus olhos negarão o olhar,
e logo sobre mim
tuas lágrimas silenciosas
dirão,
contarão,

me queimarão.

Gustavo Henao Chica
AVIPAF
Cadeira: 13


ANÚNCIOS!!!


Eventos Culturais

Conuna1Inferior

Catalogo Vazio3

Anúncios!!!

Livros Digitais