Anúncios !!!


Cat-1

Cat-2

Anúncios!!!


Poesia

ColunaDireita

Catago Vazio2

Coluna Filosofia


ANÚNCIOS!!!


» » Isabel Furini: O peregrino e outras poesias

Fotografia de Isabel Furini



O BANCO DA PRAÇA


o banco da praça parece vazio
mas sobre ele serpenteiam
versos dormidos

os versos esperam o jovem poeta
que reinventará universos
aperfeiçoará a estrutura

costurará as palavras
(com cautela)
e preservará a essência

porque os versos
são duendes invisivéis
manifestados em palavras e em sonhos

e a Poesia
é uma Musa matreira
que deseja sensibilizar o mundo.


Isabel Furini




O XAMÃ EM SUA CADEIRA BARCELONA

O xamã sitia espaços sibilinos e descobre oníricas couraças.


Na textura das palavras
desvenda temores infantis.

No leque das frases,
libélulas de esperança.


Desafia lembranças perdidas em olhares despedaçados,
vasculha terrores noturnos,
farpas de ódio
e amores perdidos.


O psicanalista indaga e silencia.

Invade os pesadelos
e encontra princesas esquecidas.


Por fim, descobre os subterfúgios
e assinala trilhas desconhecidas
nas curvas da espessa linha do tempo
(subjetiva).


Sementes de lembranças crescem
entre as cinzas do esquecimento,
o xamã
(sentado em sua cadeira Barcelona)
espera calmamente pelo milagre do renascimento.

Isabel Furini



PEREGRINO

o jovem poeta arquiteta
seu plano sobre o caderno
ele é o imperador
de um mundo soñado

ele é um eterno peregrino
perdido na escuridão dos tempos
e no oceano dos sentimentos

ambiciona erguer castelos
de versos
construídos com suas palavras
e alimentar florestas com seus silêncios.

Isabel Furini

Fotografia de Isabel Furini




UMA TATUAGEM

Uma tatuagem é desdobramento do instinto em imagens,
orbe de conceitos
chicoteados em flor, ou âncora, ou astro
(caos de imagens)
silêncio angustiante e selvagem cinzelado no corpo.

Uma tatuagem é labirinto de conceitos
(metálicos),
gravura de emoções desafiando a impermanencia
e os preconceitos,
áspera formiga desfiando um a crosta de um relógio vermelho
(no quadro de Dalí).

E, às vezes, às vezes, uma tatuagem
é como a fita de Moebius,
arco do tempo,
voz metafísica do universo
imprimindo o sonhos na epiderme do eu.

Isabel Furini



«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Editor da Revista Carlos Zemek

Curador e Artista Plástico.
Membro da Academia de Cultura de Curitiba - ACCUR.

1 comentários

Isabel Furini: O peregrino e outras poesias
  1. Boa tarde Isabel Furini, belas poesias, parabéns!Uma bonita semana, abraços, Van.

    ResponderExcluir



ANÚNCIOS!!!


Eventos Culturais

Conuna1Inferior

Catalogo Vazio3

Anúncios!!!

Livros Digitais