Anúncios !!!


Cat-1

Cat-2

Anúncios!!!


Poesia

ColunaDireita

Catago Vazio2

Coluna Filosofia


ANÚNCIOS!!!


» » Vestidos de Festa I: Isabel Furini, Elciana Goedert, Ivana Gomes e Clevane Pessoa


O VESTIDO DA AVÓ

Caminhei até o quarto de despejos
abri o baú de madeira
e observei
o vestido de festa da avó

um vestido antigo - belo além da poeira

um vestido
destruído pelas traças e pela umidade
mas iluminado pelas lembranças
e pelo fulgor da saudade.

Isabel Furini





Valeu a espera!
Borboleta vestida pro baile.
Festa de primavera.

Elciana Goedert



Vestido 

Vestido que adorna meu corpo
Que me faz bela e desejada.
Vestido cor do ouro das Minas.
Vestido brilhante como as estrelas.

Vestido
Belo
Belo
Vestido

Desejo-te em meu corpo
Vestido macio
Macio como os lábios
Quentes e úmidos
daquele que me faz sentir
o desejo de vesti-lo.

Ah! Vestido.
Entrar-me em ti é fazer-me mulher desejada como você.

Ivone Gomes de Assis
(Publicado na obra "Veredas Literárias")





VESTIDO DE BAILE

Nos quinze anos da vida, a menina
sonhava seu vestido de baile...
Nada dizia à mãe viúva e desempregada.
Fazia consertos de roupas
para fora,
sonhava os ombros de fora,
a fita com vitrilhos e paetês
na cintura delicada.
Um dia foi entregar umas costuras
e no meio do refresco oferecido,
sem querer, foi contando seu sonho.
A velha senhora marejava os olhos
e suas mãos tremiam
enquanto a ouvia, um flash back contínuo
lembrava seu debut.
O Pedrinho dançando com ela
e beijando sua mão, ao convidá-la ao salão
ornado de estrelas iluminadas.
Sabia que a rememória é preciosa...
de repente, uma ideia também cheia de luz:
chama a adolescente a leva ao seu guarda-roupa
Ali, embrulhado em papel de seda azul
o precioso vestido, de tule, rebordado a flores,
molinhos de pérolas rosadas.
Lindo e triste, por se pensar esquecido.

“ - Toma, é teu, experimenta...”
Insiste a velhinha.
E no é que o vestido ficou perfeito na Eduarda?
Só faltava repregar alguns apliques, miçangas...
E a mãe da menina, cheia de alegria e emoção
o fez à perfeição.
Eduarda e Pedrinho estão encantadores.
Quando viu as fotos, a velhinha do sobrado
bordou o rosto enrugado,
com linhas suaves e úmidas
de lágrimas a escorrer,
percebeu que melhor que sepultado num armário
o vestido reviveu na garota pobre
que parecia tanto com ela própria

O vestido rodado e flutuante, vintage,
parecia rir por voltar à alegria de viver

Clevane Pessoa



«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Editor da Revista Carlos Zemek

Curador e Artista Plástico.
Membro da Academia de Cultura de Curitiba - ACCUR.

3 comentários

Vestidos de Festa I: Isabel Furini, Elciana Goedert, Ivana Gomes e Clevane Pessoa
  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Carlos Zemek e Isabel Furini, muito obrigada por publicar meu poema "Vestido". Parabéns pelo lindo trabalho da Revista. Ivone de Assis

    ResponderExcluir
  3. MUITO AGRADECIDA! QUE BELA PÁGINA, AMEI TODOS OS POEMAS! O MUNDO FEMININO, A RESPRESENTAÇÃO DE UM VESTIDO, TUDO BEM POETIZADO.PARABÉNS, POETISAS! PODEM CORRIGIR "FLASH BACK?" ESTÁ COM "H" NO FINAL, MEU CORRETOR AUTOMÁTICO DEVE TER TROCADO A LETRA! ESTÁ NO DÉCIMO QUARTO VERSO.UM GRANDE ABRAÇO!CLEVANE PESSOA (MAIÚSCULAS , APENAS POR UM PROBLEMA AAQUI) .ÓTIMA SEMANA1

    ResponderExcluir



ANÚNCIOS!!!


Eventos Culturais

Conuna1Inferior

Catalogo Vazio3

Anúncios!!!

Livros Digitais