Anúncios !!!


Cat-1

Cat-2

Anúncios!!!


Poesia

ColunaDireita

Catago Vazio2

Coluna Filosofia


ANÚNCIOS!!!


» » Isabel Furini: Três poemas do livro Os Relógios de Dalí

RESPIRAÇÃO

As guelras do tempo
respiram
transpiram
infinitos sonhos
e os relógios moles
já nada registram
e em seu descontrole
derretem (derretem e choram)
choram as tristezas de todos os homens.

Isabel Furini



Arte de Isabel Furini
NOVÍSSIMA

Homens e mulheres ocultam a decepção
e brincam
como crianças travessas
à sombra da pequena pedra
do quadro
“a persistência da memória”
com máscaras bem construídas
ocultam a desilusão
esses homens e mulheres
são criadores
de uma novíssima civilização
:
a civilização da solidão.

Isabel Furini




INSTABILIDADE

O amorfo sonha e zomba da organização
sempre instável
de nossa civilização
tão flutuante quanto um pincel
experimentando formas e cores
(na proa
de um barco de papel).

Isabel Furini
Foto e Arte de Isabel Furini
FOME DE FORMIGA 

Esses relógios têm umidade de raízes,
insondáveis como fantasmas,
obsessivos,
compulsivos,
espiam constantemente.

A paisagem esculpe as janelas dos olhos
água de batismo umedece as retinas,
delata tempestades marinhas na escuridão do inconsciente.
A água salgada corre além das rochas,
esse mar, esse mar – quase uma gruta de sonhos.

O destino marca nossas horas – como os relógios moles de Dalí,
as horas do esquecimento e as horas vindouras
até que seja possível descobrir
(atônitos)
que as fatais formigas não mordem um relógio vermelho em um quadro,
elas mordem nossa subjetividade,
atacam nossa singularidade e devoram o queijo Camembert
(já derretido).

Isabel Furini.
Esse poema conquistou o 1º Lugar no Concurso de Poesia da Academia Campolarguense da Poesia, em 2013, Campo Largo/PR.

«
Próxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Editor da Revista Carlos Zemek

Curador e Artista Plástico.
Membro da Academia de Cultura de Curitiba - ACCUR.

2 comentários

Isabel Furini: Três poemas do livro Os Relógios de Dalí
  1. Os poemas de Isabel Furini do livro Os Relógios de Dalí mergulham, são densos. Legal demais. Elói Fonseca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo comentário, prezado poeta Elói Fonseca.

      Excluir



ANÚNCIOS!!!


Eventos Culturais

Conuna1Inferior

Catalogo Vazio3

Anúncios!!!

Livros Digitais